segunda-feira, 22 de julho de 2013

A Persistência da Memória - Ode a Salvador Dali

Salvador Dali
 
 
A Persistência da Memória.

Um tempo caído,
Esgotado, derretido, esmaltado escrotizado.
Dali e daqui.
Ponteiros, pontadas.
Dali, acolá.
Apontados para o sem fim,
Dali.
Amontoado de coisas, idéias sem nexo,
Desejo obscuro, estranho e impaciente.
Dali impactante.
Que cores...
Que  sonhos...
Só à Dali.
 Verdades misturadas de uma mão inquietante,
Cabeças e pés, fígados e rins partes de um nada,
Poluído em tudo.
Salvador Dali!
Misturas, matérias, ideias,
De noite ou de dia,
Somente a  olhar,
O tempo passar.

Por
Marcelo Oliveira