Postagens

Mostrando postagens de 2014

Nietzsche uma Dinamite da Filosofia

Conheço a minha sina. Um dia, meu nome será associado à lembrança de algo tremendo, de uma crise como jamais houve na face da Terra, do mais profundo choque de consciências, de uma decisão  evocada contra tudo o que até então foi aceito, reivindicado e consagrado. Não sou um homem, sou dinamite. E com tudo isso não sou em absoluto fundador de qualquer religião. [...] Não quero ser santo, preferiria ser bufão. [...] Talvez eu seja um bufão. [...] E apesar disso, ou melhor, não apesar disso – pois até agora não há nada mais traiçoeiro que o santo – a verdade fala através de mim. Mas minha verdade é temível: pois até hoje se chama a mentira de verdade. 
texto CRE- faculdades Claretiano - Batatais 2013 
"Cada dia acredito mais nos meus cachorros, amigos verdadeiros, companheiros por excelência na arte da verdade de amar." Marcelo Oliveira

Contemplar é preciso

Imagem
Crédito de imagens para Lakshmi.apdma.com 320 × 180
               Concentrar no espírito sobre assuntos intelectuais, religiosos e meditar é viver em contemplação. Parar para escutar o interior, aquela voz que vem do coração, se colocar atento no silêncio do corpo e da alma é contemplar.
               A humanidade esta sofrendo com a falta de tempo, todos correndo em busca de acumular coisas. O poder do ter, do aparecer e do conquistar vem se tornado regras para o existir.
O consumismo exagerado entra em nossas vidas como um guerreiro absoluto, impondo maneiras de viver. O ser humano, cada vez mais doente, acumula patologias, apodera-se do conhecimento, gaba-se da ganância das descobertas e vai de vento em polpa acrescentando poder ao individualismo.
Não  existe mais tempo... Aquele gostoso tempo de visitar um amigo, de falar ao telefone com a pessoa amada, de sentar em um banco de praça e ver a vida passar devagarinho com o calor do sol de uma manhã de inverno...não existe mais.
 …

Encontro de amigos

Imagem
Vender conceitos na sociedade brasileira é abrir possibilidades para ser feliz. Existir de alguma maneira afeta os olhos de quem se coloca em cima do muro para simplesmente jogar pedras aos que buscam felicidade onde quer que ela esteja.              E assim, no final do anos 90 éramos Clubers,  discos, eletrônicos, psicodélicos, gays, lésbicas, homens, mulheres, jovens correndo  para  realizar seus sonhos. Uma busca incessante do entendimento de uma sociedade careta e carente. Careta pelo preconceito, carente de cultura.  Do jeito que dava, do jeito que podíamos e entendíamos  nossas reuniões, raves, trachs, festas, acontecimento de malucos, existentes aqui e ali com belas músicas, deliciosas comidas  e bebidas para aquecer o nosso corpo e a nossa alma ... aconteciam. O mais importante, cercados de amigos que ficarão para sempre em um lugar chamado coração... com lembranças e cheio de saudades.              Se na vida precisamos vender e comprar para sobreviver.  Seja…
Imagem
Teatro flutuante da Áustria - Creditar imagens: parceirosd​averdade.b​logspot.co​m.br Chega, Basta! Não Dá Mais.
Vendo TV aberta, de arte, na minha casa, acompanhando uma matéria, de um certo jornalista bem informado, fui despertado com uma  constatação no qual venho pensando sobre o fazer teatral dos últimos tempos.
Confesso, não dá mais, chega.
Revolvendo com meus botões, pergunto: estamos fazendo arte ou trocando as cadeiras dos analistas para desabafar em publico?
Teatro documental, modinha ou forma de ganhar dinheiro com arte?
Bom, cheio de perguntas, observando cada vez mais esse mercado de variedades, lotado de imagens, luzes e palavras desconexas, desliguei a TV e peguei o jornal local.
Deparo com o que? Está certo, não é o melhor jornal, mas ainda assim é um jornal, com críticos, jornalistas preparados para escrever palavras também desconectadas sobre o ofício da arte de fazer teatro... Cuidado senhores jornalistas estamos com os olhos bem abertos para enxergar o que vocês est…

Perguntas e mais perguntas... respostas talvez.

Imagem
Algumas experiência vividas na arte,  no rito e no ser cristão, nos fazem parar. Quem somos? Onde estamos ?  O que buscamos?  Deuses absolutos ou arrogantes semi-deuses de plantão?  O Deus barbudo, de tridente em punho pregando regras da razão sem muitos sentimentos de amor, fraternidade e igualdade tem incomodado ou proporcionado seguir o caminho como ovelhas em uma fila constante de repetições e de mesmices? Sim meus amigos, a arrogância destrói o ser humano e  com ela  carregamos  o  fardo da soberba.  Sentimos  falta de pessoas que possam andar descalços, experimentando as sandálias da humildade,  isso é um fato ou apenas pregação? Se na arte precisamos nos desnudar a todo momento para buscar um sentimento verdadeiro o mais próximo de Deus, porque então nos tornamos semi-deuses ou até mesmo deuses cheios de palavras desconectadas, vazios de sentimentos? Para que serve tudo isso? ...não tenho respostas,  mas entendo que precisamos parar, pensar e até mesmo contemplar o que de fato…

BALANÇO GERAL

Imagem
Balanço Geral Bom, bom, bom não vou dizer é tão bom para não parecer a Xuxa.

2013 foi um ano de glórias e realizações.
Já que o mundo não vive sem um exposição e eu fazendo parte integral deste mundão de Deus, registro aqui e acolá feitos que me deixaram bem felizes...quem sabe meus sucessores; filhos, sobrinhos, afilhados amigos e parceiros um dia possam ler estes registros.
E joguem a primeira pedra quem nunca fez uma exposiçãozinha!!!

Todo ano gosto de agradecer os feitos e realizações.
Parei agora e percebi o quanto foi bom o ano de 2013:
-Pockshow amar é 02, com canções do Sidney Magal abriram o ano, contando com a participação especial do Felipe Costa um geniosinho no violão, aluno querido.
-Coordenação pedagógica, fechando o ano com a comunicação na Casa do Beco. Puderam me ensinar o quanto é importante trabalhar com amor e respeito aos que mais necessitam.Cidadania com arte, acredito e faço parte! Respeito ao empreendedorismo de Nil César, chefe e amigo de tantas horas e convers…