segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Artivismo Queer

                                                                      Simone star

Nossos corpos, nosso verbo, nossa carne.
Se fomos criados a imagem e semelhança de Deus  porque não pensar...
Também  sou filho igual a todos os outros espalhados por aí,
Pensar que Deus me fez assim:
Espiritualidade subversiva,
Estudando, incomando e questionando.
Esse é o meu papel.
Avante na luta.
By
Marcelo Oliveira

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Refazendo Padrões em Praça Pública

Credito todos para Ana Ester Freire 

Refazendo  Padrões em Praça Pública

Com a liberdade de expressar por onde eu possa passar,  a arte tem permeado meus caminhos em busca de transformações. Assim como existe no belo o feio, cabe a cada um usar a sua lente para apurar os fatos.
 Sou uma voz, um artista que luta pelos direitos dos excluídos. 2016 foi um ano de conquistas, parcerias e lutas mas também de muitas perdas. O que seria do mundo se não houvesse os conflitos? Na busca de compreender a vida com um toque mais leve, procuro com liberdade usar o que sei fazer, arte, para me libertar e quiçá conquistar olhares curiosos, destemidos, bravos, fracos, militantes, desprovidos de cultura, poetas, músicos, psicólogos, políticos, politiqueiros, quem quer se seja em busca de um lugar ao sol melhor para todxs. 
Apreender e abrir a escuta tem sido a minha bandeira. Buscando aqui e ali ( entre nobres e favelados porque não?) o discurso da igualdade, da desglamourização da arte e da religiosidade. 
Vivo em comunidade porque preciso do outro e é no outro que me encontro com a simplicidade nas palavras, mas com o coração cheio da virtude maior que pode existir em nos. 
 O amor,
 verdadeiro em sua essência pelo que fazemos por nós e pelos outrxs. 
Vivemos momentos em que a visibilidade se tornou maneirismo e moeda de sobrevivência, então que nossas gargantas estejam afiadas como os saltos, as perucas, as pernas-de-pau, os nariz vermelhos, as maquiagens borradas para gritar aos quatro cantos. 
EXISTIMOS!!!!!
Nosso jeito QUEER de ser existe e está no meio de nós. 
Sejam gays, homens, mulheres, trans, travestis, lésbicas, bissexuais, brancos, negros, amarelos, índios, nordestinos, japoneses, putas, garotos de programa...
Todxs EXISTIMOS e temos direito à vida. 
By 
Marcelo Oliveira 


quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Números e Pessoas - Importância substancial

Credito fotos Leila Verçosa

2016 
Reencontros mais que importantes, porque sem amigos não somos felizes. 

2017

Ano importante quando tenderemos a observar mais o próximo.
 Seremos mais cuidadosos...
Sejamos atentos aos pequenos detalhes pois eles fazem uma enorme diferença. 
Que cai sobre nós a firmeza, determinação  e ousadia com gentileza. 
Salve o ano do Galo!